Por Rodrigo Calejon
Resultado de imagem para Rodrigo Calejon
Defensor Público.
Fale comigo:rcalejon@gmail.com

1) Elabore um planejamento semanal para seus estudos.

Com maior ou menor tempo para estudar, é preciso organizar os temas a serem examinados em cada momento. Um estudo sem planejamento reduz drasticamente as chances de aprendizado e, portanto, de aprovação. Dividir o estudo de cada matéria ou tema por grupos e dias da semana facilita a retomada de cada tópico desde a última análise. Por exemplo, Direito Penal e Direito Processual Penal às terças-feiras, Direito Constitucional e Direito Eleitoral às quintas-feiras.

2) Treine questões de prova ao lado da leitura de materiais, leis e livros.

Um cuidado essencial é compreender que, para passar em provas da OAB e de concursos públicos, não basta acumular o conhecimento de livros e aulas intermináveis. É necessário praticar, pois as questões de provas são comumente elaboradas de modo a confundir o candidato nos detalhes ou na linguagem, nem sempre idêntica àquela apresentada no texto legal ou dos manuais. O estudo da matéria seguido do treino com questões otimiza o aprendizado e aumenta as chances de aprovação. Por exemplo, dedicar uma hora para leitura de manuais/materiais e trinta minutos para questões objetivas das mesmas matérias, praticar duas horas semanais de questões dissertativas.

3) Conheça a jurisprudência sobre os temas estudados.

Assim como é preciso conhecer o que a doutrina fala sobre a lei e os diversos assuntos jurídicos, é igualmente importante saber o que os tribunais dizem. Em muitas hipóteses, a prova exigirá do candidato, numa mesma questão, o conhecimento da lei, da doutrina e da jurisprudência, eis que um profissional do Direito que se queira apresentar como completo precisa, no mínimo, de uma noção razoável dessas três visões dos institutos jurídicos. Por exemplo, o tratamento do dolo nos crimes contra o patrimônio segundo o Código Penal, a doutrina preferida da banca examinadora e a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, dos Tribunais Superiores e do tribunal local.

4) Aprimore seu conhecimento sobre a língua portuguesa.

De nada adianta reter muito conhecimento se, ao nos depararmos com provas dissertativas ou orais, não soubermos nos expressar de forma coerente e tecnicamente adequada. É notório que o bacharel em Direito não valoriza o conhecimento da língua portuguesa, o que tem gerado uma enorme quantidade de pessoas que, a par de terem muito conhecimento jurídico, são incapazes de esboça-lo no papel ou em palavras. Seja você um aspirante a advogado, juiz, promotor, defensor público, advogado público, delegado de polícia ou outra carreira jurídica, saiba que escrever e falar de forma imprópria são vícios que dificultarão sua aprovação. Portanto, não deixe de dedicar algum tempo ao estudo da língua portuguesa, pois certamente o examinador verá seu desempenho com outros olhos.

5) Cuide da sua saúde.

O processo de aprovação costuma ser longo, podendo levar anos. A frustração eventualmente atinge a todos nós. Por isso, não podemos nos esquecer de que o descanso, a prática de exercícios físicos e a convivência humana são igualmente essenciais em nosso sucesso. Não se distancie de seus familiares e amigos, não deixe de ir ao cinema ou passear. Tenha apenas o bom senso de não exagerar para não prejudicar seu método de estudos ou o desempenho na prova. Não se esqueça: o Direito busca organizar a vida em sociedade. Se você não fizer parte dela, como um robô programado apenas para passar em provas, não será capaz de lidar com os dilemas humanos que serão trazidos a você.